Pages Navigation Menu
Adsense

Série Paris #03

Viajar com fotógrafo é… voltar pra casa com mais de 3 mil fotos para editar! É isso mesmo, ainda não terminei de editar as fotos das nossas férias em Paris, para começar a segunda etapa, que é definir os temas dos layouts. Então, nesta semana, vou mostrar a vocês como faço a edição e organização das minhas fotos — esse processo eu uso para todas as fotos, não somente as de viagem!

Como uma amiga minha disse essa semana, “edição é a arte do desapego”. E é mesmo! Para vocês terem uma ideia, estou jogando fora, deletando mesmo, de 100 a 120 fotos por dia de viagem. E podem ter certeza que ainda sobram muitas! Em cada lugar, tem a foto tradicional, outra um pouquinho mais pra direita, mais pra esquerda, com meio zoom, com zoom inteiro, um detalhe aqui, outro ali… enfim, é foto que não acaba mais! E não dá pra guardar tudo, senão nem um HD de terabytes aguenta!

Assim, a primeira coisa que eu fiz foi olhar as pastas de fotos dia por dia (quando eu descarrego da câmera no computador, já separo as fotos por Ano – Mês – Dia – Assunto) e fui deletando as que estavam meio tremidas, repetidas, não tão boas… A pergunta do desapego é: Eu gastaria dinheiro pra ampliar essa foto? Se a resposta for não, é lixo mesmo! Após essa primeira limpeza, fiquei com cerca de 2.600 fotos da viagem.

Agora, a próxima fase: organizar tudo no Adobe Bridge, para que eu possa encontrar as fotos facilmente sempre que quiser, sem ter de ficar percorrendo pasta por pasta.

Aprendi a usar esse software no workshop Library of Memories, da Stacy Julian, no Big Picture Classes. Aliás, esse curso é perfeito para quem quer aprender mais sobre organização de fotos e histórias para fazer as páginas de scrapbooking.

O Bridge é um aplicativo por meio do qual você visualiza as imagens que estão em seu próprio computador. Você não precisa fazer upload, nem importar as imagens. É só abrir as pastas em que elas se encontram para visualizá-las no programa.

O primeiro passo é abrir a pasta de fotos, selecionar todas elas e incluir as tags que achar necessárias. Eu separo meus álbuns por temas, então foi assim que organizei minhas tags. Veja abaixo:

Depois disso, eu coloco os dados de cada lote de fotos, identificando o local, as pessoas, enfim, o que eu achar necessário para encontrar a foto depois. Na verdade, é como se fosse a legenda da foto, além dos dados de quem fotografou (aqui é possível inserir o Copyright, por exemplo, importante para quem compartilha suas imagens na internet).

Para saber os nomes de todos os lugares, eu conto com a ajuda do meu Travel Journal, que mostrei aqui na semana passada. Sem ele, é quase impossível lembrar de tudo!

Por fim, eu faço o ranking das fotos, da seguinte forma:

  • 3 estrelas: as melhores fotos, aquelas que obrigatoriamente deverão estar em uma página de scrap, e podem render inclusive uma página de foto única
  • 2 estrelas: fotos que podem ser o foco de uma página; estão entre as melhores também
  • 1 estrela: fotos que podem ou não serem “scrappeadas”, complementando as fotos 2 estrelas
  • sem estrelas: aqui fica a grande maioria das fotos, aquelas que são um registro da viagem, mas que não precisam fazer parte de uma página

Para fazer esse ranking, clique em Ctrl+B e vá clicando, para cada foto, em Ctrl+1, Ctrl+2 ou Ctrl+3, conforme o número de estrelas que quer dar a cada foto. Nessa etapa, muitas vezes eu acabo deletando mais algumas fotos, limpando ainda mais o lote.

Bom, como podem ver, o processo é um tanto longo. Por isso, ainda vou levar muito tempo organizando todas essas fotos. Espero ter novidades pra mostrar pra vocês na semana que vem. Mas se tiverem alguma dúvida sobre o post de hoje, também podem perguntar, combinado?

Um ótimo final de semana a todas!

Be Sociable, Share!

Posts relacionados

468 ad
Adsense
Adsense